capa
Gisele Berardi

Jejum intermitente: aprovado por muitos, condenado por tantos?!

Gisele Silveira Berardi esclarece algumas dúvidas sobre essa prática que vem ganhando cada vez mais adeptos

publicidade

O jejum intermitente é uma estratégia que pode ser utilizada junto com um determinada dieta ou não -  e vem sendo muito falado e utilizado por pessoas que desejam emagrecer. Mas será que ele realmente funciona?

Para muitas pessoas sim!!! O jejum realmente tem benefícios no emagrecimento, pois consegue reduzir a produção de hormônios como a insulina – que interferem diretamente na fome e na compulsão alimentar. Quando o indivíduo fica sem comer, automaticamente o corpo reduz a produção de tais hormônios, o que permite que a gordura entre como combustível para produção de energia, gerando assim redução de peso.

Praticar jejum faz mal?

É normal escutar por aí que o jejum pode fazer mal. Mas, na prática, será que ele pode realmente prejudicar nossa saúde? Historicamente nosso corpo tem a capacidade de ficar longos períodos sem se alimentar. Vamos voltar lá no tempo do homem das cavernas, quando não se sabia que horas iria achar a caça ou até mesmo se realmente iria encontrá-la naquele dia. A oferta de comida era muito diferente de hoje, por isso ainda temos no nosso DNA a capacidade de sobreviver mesmo em longos períodos sem alimentação. Ou seja, é possível fazer jejum e menter-se saudável.

Claro que existem exceções. Em alguns casos, como o das gestantes, mulheres amamentando, diabéticos descompensados, crianças e pacientes com transtornos alimentares não temos indicação para o jejum pois podemos gerar mais desconforto do que benefício.

Como começar o jejum intermitente?

Existem diversos protocolos de jejum intermitente em relação ao número de horas, mas o mais simples e indicado para quem ainda não o pratica é começar com 12 horas de jejum e 12 horas alimentado (podendo utilizar o período da noite para cumprir as horas sem comida). No período de jejum fica liberado o consumo de água, chimarrão e café sem adoçante ou açúcar.

É válido lembrar que durante a janela de alimentação o indivíduo deve observar as escolhas alimentares, o número e o valor calórico das refeições, porque o emagrecimento também vai depender disso. Outro protocolo que traz muitos benefícios em se tratando de emagrecimento é o 16/8; ou seja, são 16 horas de jejum e 8 horas de alimentação.

Benefícios além do peso

O jejum tem sido apontado por algumas pesquisas como excelente estratégia para redução de radicais livres e substâncias inflamatórias, associadas ao envelhecimento. Então além de reduzir gordura, sabemos hoje que ele também auxilia como fator de antienvelhecimento. Ou seja, quando bem orientado, o jejum é uma ótima alternativa para o seu dia a dia.

por Gisele S. Berardi

Gisele Silveira Berardi é mãe da Antônia e nutricionista funcional, com foco em emagrecimento e hipertrofia, infertilidade e envelhecimento saudável. Escreve semanalmente para o Bella+ com a missão de desvendar os segredos da alimentação saudável. @giselesberardi


compartilhe