capa

Jornada excessiva de trabalho pode provocar estresse

Especialista alerta para situações extremas, que podem levar a Síndrome de Burnout, e indica a melhor forma de contornar a situação

publicidade

Jornadas exaustivas, expedientes sem fim, volume de tarefas. Quem nunca passou por situações em que o trabalho excessivo acabou saindo do controle, desencadeando situações de estresse ou até mesmo o esgotamento físico? Se você se sente assim, é hora de ligar o alerta e repensar estratégias para que o acúmulo de funções não tenha consequências mais sérias. 

Segundo Erika Linhares, pedagoga especializada em mudança de comportamento humano, além de stress, angústia, tensão e nervosismo, uma carga de trabalho excessiva pode provocar até mesmo doenças como a Síndrome de Burnout. O distúrbio psíquico de caráter depressivo, precedido de esgotamento físico e mental intenso foi a causa do afastamento da cantora Anitta das redes sociais e cancelamento de alguns shows e compromissos pessoais na semana passada. "Tudo o que não agrega para que um profissional seja engajado, produtivo e inovador, que é o que a indústria hoje em dia precisa. Vale lembrar que esse tipo de stress, burnout, em uma situação extrema, pode levar inclusive à morte", alerta a profissional.

Mas como saber se a carga de trabalho está mesmo fora do controle? "Você sabe que a carga está excessiva quando não consegue ter um tempo para fazer uma atividade física, quando passa a não ter tempo para conviver com a família e com os amigos, que é extremamente importante para uma vida de equilíbrio. E sem equilíbrio você não oxigena o seu cérebro, não tem a sensação de bem-estar, portanto você não consegue ser altamente produtivo no trabalho", explica. 

O resultado de tudo isso? De acordo com Erika, a péssima combinação de desorganização e caos. "A pessoa passa a ser movida pelas coisas urgentes e não pelas coisas importantes. Começa a ver que está extremamente irritada, sem paciência, não consegue pensar direito. É completamente visível para a pessoa que a vida dela se transformou em um caos porque não tem mais tempo para fazer nada", esclarece.

Hora de parar e se organizar

A mentora destaca que, antes de recorrer ao chefe, contudo, é preciso entender a lógica do "jogo". "Primeiro, você tem que se organizar, entender o que é importante, pôr em ordem de prioridade e executar, não ser preguiçoso. Se você não executa as coisas importantes, elas viram urgentes, o que faz com que a sua vida vire um caos", diz. 

Se você não está cuidando da saúde ou fazendo uma atividade física, uma hora o corpo vai pedir socorro e, aí sim, se tornará uma questão urgente, exemplifica ela. "Você vai ficar doente, estafado, estressado, vai ter um problema de saúde e vai ter que parar. Então é preciso tomar muito cuidado para não deixar de fazer as coisas importantes e elas virarem urgentes", avisa Erika. 

A dica é foco: chegar ao trabalho e se concentrar para entregar as coisas no prazo. Após, atentar-se às tarefas fora do trabalho. Organizou as tarefas e está entregando as coisas no prazo? Aí sim é hora de sentar e expor a situação ao chefe. "Seja pragmático, vá com fatos e dados e converse", sugere a profissional.

Mulheres são as mais afetadas

Para as mulheres, que costumam trabalhar mais do que o dobro de horas a mais que os homens em vista das atividades domésticas, segundo dados de estudo do IBGE de 2018, o esgotamento mental e físico costuma ser ainda mais comum. "As mulheres com certeza são as mais afetadas. Ainda hoje, o compromisso do trabalho de casa na sua maioria é feito pelas mulheres e também com os filhos. E isso com certeza gera uma sobrecarga na mulher e também um preconceito no ambiente de trabalho", diz.  

Para não deixar a situação de estresse chegar ao limite é necessário, antes de mais, nada organização. "É preciso não deixar que as circunstâncias distraiam esse profissional. Quando estiver no trabalho, produza para que sinta orgulho e saiba que está dando resultado", completa.    


compartilhe