capa

Orçamento doméstico: como economizar na cesta básica

Com organização, é possível fazer com que as compras do mês fiquem dentro do esperado

publicidade

Em tempos de crise, não é fácil economizar quando se fala em cesta básica. Ainda mais sabendo que, segundo os últimos dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), a Cesta Básica de Porto Alegre foi a segunda mais cara do país - no ano, a cesta está 0,96% mais cara e, em 12 meses, registrou alta de 11,76%. Mas, com empenho e alguma organização, é possível fazer com que as compras do mês fiquem dentro do orçamento.

A economista do site Democracia e Mundo do Trabalho (DMT) Virgínia Rolla Donoso destaca que um dos principais erros que influenciam no orçamento doméstico é sair para fazer compras específicas e acabar levando bem mais do que deveria, ou mesmo não ter objetividade na hora das compras. 

"Isso acaba prejudicando bastante qualquer orçamento doméstico, uma vez que você vai no supermercado e precisa comprar só mantimentos, como perecíveis, leite, pão, coisas de dia a dia, e acaba comprando itens que não estão na lista", alerta.

Vilões do orçamento

Virgínia lembra que a economia está diretamente ligada em aproveitar as promoções e às substituições de produtos em determinados momentos. "Há períodos com vilões muito importantes por conta de safra, oferta e demanda. Quantas vezes vemos que o tomate é o vilão da cesta básica, por exemplo. A economia está em substituir alimentos, o feijão pela lentilha, o tomate por algum outro legume. Essas trocas permitem que você mantenha aquele custo previsto para a alimentação da família", orienta.

Outra dica para economizar no orçamento doméstico é fazer as compras nos grandes mercados, ou mesmo nos sistemas de atacado. "Esses sim, permitem fazer uma compra com um valor maior. Em vez do consumidor chegar no supermercado e comprar dois quilos de arroz, vai comprar aqueles sacos de cinco quilos. Isso vai te permitir uma economia, mas, ao mesmo tempo, é preciso um gasto inicial bem maior", compara.

As feiras também podem ser boas escolhas na hora de fazer as compras do dia a dia, segundo a profissional. "As feiras populares que existem espalhadas por toda Porto Alegre e região são extremamente vantajosas em relação aos supermercados. Então, vale muito a pena, tanto para hortifrútis, quanto para todo tipo de alimento, como peixes e carnes."

De olho nas ofertas

Veja as dicas da economista Virgínia Rolla Donoso para quem busca se organizar e economizar na hora de fazer as compras do dia a dia:

1.  Tenha uma estimativa do seu orçamento

A profissional destaca que é importante identificar quanto se gasta por mês em alimentação no domicílio onde se vive. "Em cima desse valor, é preciso trabalhar para não sair da meta, ou, se sair, que seja compensada por outro tipo de economia. Isso ajuda em qualquer orçamento", orienta.

2. Busque as promoções 

Ficar de olho nas ofertas do dia é a principal estratégia, segundo a economista. "Faz muita diferença o dia da oferta para o dia comum. Se formos pensar em hortifrutigranjeiros é muito significativa a diferença. Há itens que mudam 50% o valor", destaca. Mas ela lembra que para isso é necessário tempo, o que nos leva ao terceiro item.

3. Organize-se

Virgínia lembra que para aproveitar cada oferta do dia é preciso estar disposto. "É a organização da família que vai fechar essa questão, tanto de ter um valor, quanto da disponibilidade de ir aos locais em que você sabe que vai encontrar preços mais vantajosos", diz.

por Gabriela Loeblein

Gabriela Loeblein adora moda, é apaixonada pela diva Madonna e é mãe de três peludos. É jornalista e está sempre atrás de novidades em tendências e make. @gabiloeblein


compartilhe