capa

'Ansiedade pode nos consumir', diz Gisele Bündchen sobre crises de pânico

Modelo compartilhou nas redes sociais sua dificuldade em controlar a ansiedade durante a pandemia


publicidade

Gisele Bündchen usou as redes sociais para desabafar. No mês dedicado à saúde mental por causa do "Setembro Amarelo" e as iniciativas para prevenção ao suicídio, a modelo falou sobre como se sente em relação à crises de pânico. "Por experiência própria, aprendi que nada é permanente. Às vezes, esse simples lembrete de que os sentimentos ruins irão eventualmente passar pode funcionar como um farol de esperança. A ansiedade pode nos consumir e, às vezes, precisamos de um empurrãozinho para nos ajudar a sair de nosso círculo vicioso de preocupação", afirmou.

No perfil oficial dela no Instagram, Gisele confessa que não está sendo fácil controlar a ansiedade diante de possíveis crises. "Lidar com meus ataques de pânico foi desafiador para mim e procurei ajuda. Em momentos como este, a família, amigos e especialistas podem ajudar, assim como também as técnicas de respiração e meditação", aconselha. A modelo alerta que o mais importante é "sair da inércia e buscar alternativas". "A vida é o nosso maior presente - e cada dia vale a pena", concluiu.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

From my own experience I learned that nothing is permanent. Sometimes a gentle reminder that the bad feelings will eventually go away can work like a beacon of hope. Anxiety can feel all-consuming, and sometimes we need a supportive push to help break us out of our vicious cycle of worry. My own panic attacks were difficult for me, and I sought help. In moments like these, family, friends and specialists can help, and so can breathing and meditation tools. The most important thing is to move away from inertia and look for alternatives. Life is our greatest gift—and every day is worth it. ✨💛 Por experiência própria, aprendi que nada é permanente. Às vezes, esse simples lembrete de que os sentimentos ruins irão eventualmente passar pode funcionar como um farol de esperança. A ansiedade pode nos consumir e, às vezes, precisamos de um empurrãozinho para nos ajudar a sair de nosso círculo vicioso de preocupação. Lidar com meus ataques de pânico foi desafiador para mim e procurei ajuda. Em momentos como este, a família, amigos e especialistas podem ajudar, assim como também as técnicas de respiração e meditação. O mais importante é sair da inércia e buscar alternativas. A vida é o nosso maior presente - e cada dia vale a pena.

Uma publicação compartilhada por Gisele Bündchen (@gisele) em

Em 2018, a modelo lançou o livro Aprendizados - minha caminhada para uma vida com mais significado. Na publicação, ela fala sobre a carreira e faz revelações sobre a vida pessoal.

Agência Estado


compartilhe