capa

Gente como a gente: Michelle Obama diz estar levemente deprimida

Quarentena, conflitos raciais e o governo Trump são os motivos apontados pela ex-primeira-dama dos Estados Unidos

publicidade

Michelle Obama, a ex-primeira-dama dos Estados Unidos, disse que sofre de uma "depressão leve" devido à quarentena pela COVID-19, os conflitos raciais no país e a "hipocrisia" do governo de Donald Trump. 

A esposa de Barack Obama fez esses comentários no último episódio do "The Michelle Obama Podcast", publicado no Spotify nesta quarta-feira (5). "Eu acordo no meio da noite porque alguma coisa me preocupa ou sinto um peso", disse esta advogada de 56 anos. 

"Tento me comprometer a fazer exercícios físicos, apesar de em alguns períodos nesta quarentena ter me sentido muito pra baixo", confessou. Ela definiu "esses altos e baixos emocionais" como algo que "todo mundo sente, onde você simplesmente não se sente você mesmo". 

"Esses não são tempos satisfatórios, espiritualmente", disse. "Sei que estou lidando com alguma forma de depressão leve". "Não só pela quarentena, mas também pelas lutas raciais, e só o fato de ver esse governo, ver a hipocrisia, dia após dia, é desanimador", afirmou. 

Michelle Obama, que teve um grande sucesso com seu livro "Minha História" publicado em novembro de 2018, lançou seu próprio podcast em 29 de julho, exclusivamente no Spotify.

AFP


compartilhe