capa

Como se preparar para a menopausa?

Confira dicas para passar com mais tranquilidade por essa fase

publicidade

A menopausa é uma fase natural da vida das mulheres. Nesse período, o corpo passa por muitas mudanças e quase todas sentem os sintomas disso. Porém, quem se prepara para isso consegue navegar esse processo de forma mais tranquila e equilibrada. Falamos com o chefe do Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Moinhos de Vento, Marcos Wengrover Rosa, para nos orientar sobre algumas práticas que podem ser adotadas.

O ginecologista explica que a menopausa é caracterizada pela parada de produção de hormônios e consequentemente produção de óvulos pelos ovários por 12 meses consecutivos. Dos 35 anos aos 50, idade média da menopausa, a mulher passa pelo climatério que é um período de transição da fase reprodutiva para a fase de pós-menopausa.

Segundo o Wengrover, a preparação necessária nesse período varia de acordo com as necessidades da mulher e de acordo com os sintomas apresentados. "Uma gama extensa de sintomas podem aparecer os mais comuns são ondas de calor (fogachos), alterações do sono, déficit de memória, irritabilidade e redução da libido, mais tardiamente pode ocorrer dor nas relações sexuais em função da atrofia vaginal", explica o ginecologista.

Algumas das orientações que funcionam para a maior parte das mulheres são adotar uma dieta saudável – evitar uso de açúcar branco, farinha branca e todos os alimentos com alto poder glicêmico como batata inglesa, evitar gorduras saturadas na dieta, principalmente de origem animal – e adotar uma rotina de exercícios que inclua atividade física aeróbica. Essas medidas devem ser adotadas pois as mulheres costumam ganhar peso e perder musculatura. " Em geral as mulheres aumentam 10 kg após a menopausa caso mantenham a dieta habitual e sejam sedentárias", reitera Wengrover.

Além disso, outras indicações incluem evitar o excesso de álcool e não fumar para evitar os problemas decorrentes desses hábitos. Em decorrência dos problemas como a osteoporose, as mulheres também devem adotar uma dieta rica em cálcio para reduzir a perda de massa óssea que é comum após a menopausa.

Além das consequências físicas, muitas mulheres sentem diferenças em seu estado psicológico. De acordo com Wengrover, a intensidade dessa alteração depende da estrutura emocional de cada cada pessoa. "Em geral muitos distúrbios psicológicos tendem a se agudizar ou piorar na pós-menopausa. Uma avaliação psicológica prévia a menopausa é salutar para identificar conflitos que podem e devem ser tratados para uma melhor qualidade de vida", explica. 

Caso os sintomas se tornem um incômodo na vida diária das mulheres, é possível buscar um tratamento com um médico. Geralmente, o tratamento também será preparado de acordo com as necessidades. Porém, como explica Wengrover, a terapia de reposição é uma opção viável. "A terapêutica mais eficaz é a terapia de reposição hormonal a qual envolve alguns riscos e muitos benefícios para quem sofre do que chamamos síndrome climatérica aguda", conclui.

por Marina Gil

Marina Gil é apaixonada por arte e cultura em todas as suas expressões. É jornalista e adora moda, vinhos e literatura. @aquammarina


compartilhe