capa

Inteligência artificial traz precisão para cirurgias de tumores cerebrais

A tecnologia auxilia cirurgiões a trabalhar de forma mais segura e precisa


publicidade

A inteligência artificial é capaz de analisar em "tempo quase real" um tumor cerebral durante a cirurgia de um paciente, o que permite aos cirurgiões trabalhar de forma "mais segura e precisa", segundo estudo.

Uma equipe de pesquisadores americanos concluiu que esta técnica pode determinar em menos de 2 minutos e meio se as células extraídas são cancerígenas ou não ante uma média de 20 a 30 minutos para uma análise clássica, segundo um artigo da revista Nature Medicine.

Os pesquisadores combinaram uma técnica inovadora de tomografia a laser com um algoritmo elaborado a partir da análise de mais de 2,5 milhões de imagens de biópsias.

Com este instrumento "estamos mais bem equipados para conservar os tecidos sadios e retirar apenas os infiltrados por células cancerígenas, o que se traduz em menos complicações e melhores resultados para os pacientes", explicou à AFP Daniel Orringer, da universidade de Nova York.

"Em neurocirurgia e em muitos outros âmbitos da cirurgia de cânceres, a detecção e o diagnóstico dos tumores durante a operação são essenciais para efetuar o gesto cirúrgico mais adequado", destaca este neurocirurgião.

A partir da amostra extraída, a inteligência artificial também permite detectar o tipo de tumor entre os dez tipos de câncer de cérebro mais frequentes, com uma eficácia comparável a de médicos humanos, segundo o estudo.

Durante um teste clínico com 278 pacientes afetados por um tumor cerebral, a inteligência artificial estabeleceu um diagnóstico correto em 94,6% dos casos contra 93,9% para a análise humana.

Segundo os autores, este instrumento poderia melhorar a pertinência das análises humanas e mitigar a escassez de especialistas em certos campos.

A cada ano são diagnosticados 15,2 milhões de casos de câncer e mais de 80% dos doentes são submetidos a cirurgia, segundo os autores do estudo.

AFP


compartilhe