capa
Ana Timm

A importância das ideias em tempos de crise (e sempre!)

Ana Timm fala sobre as iniciativas que estão sendo implementadas para enfrentar a crise causa pelo Covid-19


publicidade

Muito têm se falado sobre a crise econômica decorrente da pandemia de Covid-19, e o setor do vestuário certamente será um dos que mais sofrerá as consequências do vírus que assola o mundo. Afinal, quem vai pensar em comprar roupas e acessórios no momento em que sequer devemos sair de casa?

Pois determinadas marcas estão aproveitando para afirmar seu posicionamento perante o mercado. Em um tempo que não precisamos destes produtos, qual a melhor opção senão “vender” ideais, ratificar valores, praticar atos de solidariedade e incentivar pessoas através dos nossos conhecimentos e ideias? 

Minha colega de profissão Patrícia Souza já citou, em sua última coluna, grifes que estão fazendo a diferença para amenizar a transmissão do Coronavírus; seja a partir da produção de álcool gel e/ou doações financeiras polpudas a hospitais e associações ligadas ao combate da doença. Mas como enfrentar o momento sem todo esse know how multibilionário que as grandes marcas de luxo podem oferecer? 

Algumas empresas nacionais já entenderam a importância da ocasião. Inspirada pela neozelandesa Allbirds (referência em sustentabilidade na indústria calçadista), a Arezzo&Co lançou a campanha “Passos das Heroínas”, a qual visava a distribuição gratuita de 3000 pares de tênis para mulheres trabalhadoras da área da saúde. Como era de se esperar, a ação foi um sucesso e os pares esgotaram em cerca de uma hora. Para se aproximar ainda mais da consumidora, a Arezzo também fomenta o movimento “#juntas”, que tem como objetivo a divulgação de uma série de conteúdos informativos e inspiradores para os dias de distanciamento social. 

O investimento em marketing digital também foi a aposta da Hering, que conclamou um time de influencers para dar dicas culturais e de entretenimento aos consumidores da marca. Os assuntos variam desde saúde mental em tempos incertos até dicas de maquiagem, passando pela indicação de podcasts e de plataformas de streaming para passar este tempo de reclusão de forma saudável e, até, produtiva. 

Tem seu próprio negócio e estes exemplos ainda estão longe da sua realidade? Pois também temos cases de microempreendedoras regionais que estão não só fortalecendo vínculos com seu público como deixando sua marca em ações super bacanas. O Ialê Brechó é um deles. Localizado na praia do Cassino/RS e idealizado pela artista e fotógrafa Eliza Alves, traz em seu Instagram várias ideias de como aproveitar sua própria companhia, dicas para manter a autoestima, sugestões de livros e séries e até o diário de uma reforma que precisa ser continuada antes que qualquer possível desânimo tome conta.

Eu não sei vocês, mas quando tudo isso acabar, certamente lembrarei daquelxs que fizeram algo relevante neste contexto caótico. E os que apenas se recusaram a acreditar na potência do vírus, ou simplesmente ignoraram o assunto focando exclusivamente na venda de produtos (mesmo que com desconto) provavelmente sucumbirão... 

Para finalizar, sei que existem inúmeras outras iniciativas bárbaras a serem citadas, e gostaria de aproveitar este espaço justamente para fomentar a divulgação das mesmas. Quais outras empresas vêm se destacando neste quesito que vocês acham relevante compartilhar? Vamos estimular o debate e incentivar principalmente a galera que está começando no segmento têxtil e do vestuário? Deixem suas dicas em nosso Instagram!

Grande abraço! Mesmo que neste momento este seja apenas virtual...

por Ana Timm

Ana Luiza Timm Soares é designer de moda e mestre (Jedi) em História. É professora, apaixonada por comida e ainda mais pelos lambeijos de sua cachorra Batatinha. Escreve semanalmente sobre moda e seus aspectos histórico, social e filosófico mas sempre mantendo um pé na passarela. @anatim_m


compartilhe