capa
Fernanda Philbert

Alimentação é aliada para evitar sintomas da primeira menstruação

Nutricionista Fernanda Philbert fala sobre um dos mais importantes ciclos da vida de uma mulher

publicidade

A vida é feita de ciclos com características próprias e que requerem atenção especial a alguns pontos para manter a saúde. Muitas pessoas procuram entender o que acontece com a mulher, mas muitas vezes nem mesmo nós mulheres nos entendemos, não compreendemos porque em certos momentos temos oscilações de humor e comportamentos diferentes.  Essas alterações podem ser recebidas de diversas maneiras e provocar uma série de mudanças. Entre os fatores internos, os hormônios femininos são os principais responsáveis por estas alterações. Eles são substâncias essenciais para manter a saúde feminina e, se estão em falta ou em excesso, podem alterar o sono, o humor, a menstruação e o peso.

O primeiro ciclo importante que podemos citar para a mulher é a de transição entre a infância e a fase adulta, a tão conhecida adolescência. Nesta fase ocorrem grandes transformações no corpo devido às tais alterações hormonais. Há uma grande preocupação com a aparência, surgem as odiadas acnes, os seios crescem, os quadris ficam mais largos e ocorre a menarca (primeira menstruação).

Entre os sintomas mais comuns desta fase está a TPM ou tensão pré-menstrual. Ela vem acompanhada de cefaleia, constipação intestinal, câimbras, edemas, enjoos, irritabilidade e compulsão alimentar. Alguns nutrientes estão envolvidos na diminuição e alívio destes sintomas. Os vegetais e frutas, ricos em antioxidantes, são opções indicadas para serem consumidas. Alimentos ricos em ômega 3, encontrados em peixes como salmão, truta, sardinha, atum e cavalinha, também ajudam por possuírem efeito anti-inflamatório. Já os alimentos ricos em triptofano, como aveia, feijão, carnes, peixes, ovos e ervilha, por exemplo, aumentam a serotonina, substância responsável pela sensação de bem-estar, que irão melhorar seu humor.

Algumas mudanças de hábitos, como a diminuição do consumo de sal, açúcares e a diminuição no consumo de bebidas alcoólicas também ajudam no controle da TPM porque evitam desequilíbrios na flora intestinal, normalizam a função enzimática e ainda modulam o estrogênio circulante. Como se pode ver, existem várias condutas específicas em relação ao plano e suplementação alimentar que podem ser adotadas para reduzir os sintomas negativos decorrentes da síndrome pré-menstrual, bem como procedimentos para auxiliar a lidar com as compulsões alimentares porventura surgidas.

E, você, está cuidando da sua alimentação?

por Fernanda Philbert

Fernanda Philbert é nutricionista, pós-graduada e nutrição clínica funcional e esportiva. Nas horas vagas, gosta de correr maratonas. Escreve para o Bella Mais quinzenalmente explicando como a nutrição afeta a saúde da mulher. Acompanhe seu dia a dia no @fe_philbert


compartilhe