capa
Fernanda Philbert

Alimentação é aliada para prevenir a candidíase vulvo vaginal

Doença tem origem em problemas do trato intestinal e a alimentação pode ajudar na prevenção

publicidade

Atualmente, a Candidíase Vulvo Vaginal (CVV) é um relevante problema na saúde da mulher. É um dos diagnósticos mais frequentes e sua incidência tem aumentado drasticamente. Estima-se que aproximadamente 75% das mulheres adultas apresentam pelo menos um episódio em sua vida sendo que 40% a 50% vivenciaram novos surtos. A CVV é uma infecção de vulva e vagina ocasionada pelo crescimento anormal de fungos do tipo levedura na mucosa do trato genital feminino. Essa infecção caracteriza-se por prurido, ardor e pela eliminação de um corrimento vaginal.

A principal fonte de fungos vaginais responsáveis pela candidíase é o trato gastrointestinal, através de um processo chamado transmissão endógena ou translocação. Outro fator é a disbiose vaginal, ou seja, local, muito comum em pacientes que fazem uso de anticoncepcionais hormonais, antibióticos e com alto consumo de açúcar refinado, doces e carboidratos simples em geral.

Sabe-se que um bom estado nutricional sempre dará apoio ao organismo para bloquear o processo que poderá desencadear o desenvolvimento da doença. Uma alimentação adequada será capaz de recuperar a capacidade digestiva para garantir uma eficiente digestão e absorção dos nutrientes.

É importante priorizar o alimento o mais natural possível, preferencialmente orgânico e cultivado em solo rico em nutrientes. Evitar a ingestão de produtos alimentícios industrializados com alta quantidade de aditivos químicos e, o excesso de produtos considerados antinutricionais, como o álcool e açúcar refinado. Os alimentos fontes de fermentação para os fungos como açúcar, lactose, proteínas de difícil digestão (proteínas do leite, da soja, do trigo, do centeio e da cevada), também poderão ser prejudiciais. Procure ingerir em todas as refeições frutas legumes e verduras ricos em fibras, vitaminas e minerais, nutrientes fundamentais para o equilíbrio do seu intestino. Os fitoquímicos presentes nesses alimentos, como os alimentos alaranjados ricos em betacaroteno e nos alimentos vermelhos ricos em licopeno, exercem função de proteção no nosso organismo, auxiliando na saúde e equilíbrio do intestino.

Outro fator determinante para o equilíbrio das funções orgânicas, principalmente a capacidade dele na eliminação de toxinas, é uma hidratação constante. Ingerir de dois a três litros de líquidos ao dia como água e chás naturais, é um dos principais hábitos necessários para regular o funcionamento intestinal. Além das correções dos hábitos alimentares e de saúde, talvez também seja necessário à reposição de pro-bióticos muito abundantes no Kefir, por exemplo, ou mesmo via suplementação.

Então fique de olho no seu intestino, pois o seu desequilíbrio pode gerar distúrbios causados por fungos e bactérias. Com o resgate de um bom hábito e comportamento alimentar poderá ocorrer uma modificação dos fatores que facilitam a proliferação dos fungos e, modulando o sistema imunológico, manter os fungos sob controle que naturalmente e sempre existiu.

por Fernanda Philbert

Fernanda Philbert é nutricionista, pós-graduada e nutrição clínica funcional e esportiva. Nas horas vagas, gosta de correr maratonas. Escreve para o Bella Mais quinzenalmente explicando como a nutrição afeta a saúde da mulher. Acompanhe seu dia a dia no @fe_philbert


compartilhe