capa
Fernanda Philbert

Gestação requer alimentação especial

Fernanda Philbert fala sobre os cuidados nutricionais necessários nessa fase da vida

publicidade

A gestação é a principal função biológica da mulher. A perpetuação da espécie humana depende desse processo. Organismo feminino foi naturalmente desenvolvido para dar origem a outra vida. É uma fase de alterações hormonais e de transformação do corpo feminino. O período fetal é de importância e sensibilidade única. Por isso as recomendações diárias de nutrientes nesta fase estão muito aumentadas.

A alimentação materna, seus hábitos de vida e experiências podem programar o crescimento, desenvolvimento de estruturas e vias metabólicas, podendo predispor o feto a más formações, erros no desenvolvimento e doenças na vida adulta. Todo o cuidado é pouco nesta fase e será necessário aumentar a ingesta de vários nutrientes. Entre eles: cálcio (auxilia na formação dos dentes e do esqueleto do bebê), ferro (formação de células sanguíneas da mãe e do bebê), vitamina C (forma uma placenta saudável), ácido fólico (desenvolvimento do sistema nervoso do bebê) e zinco (crescimento dos tecidos do bebê).      

Os alimentos recomendados para essa fase são: verduras com folhas escuras, leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico), verduras, frutas variadas, vegetais frescos, oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas), cereais integrais, kefir, leites e derivados.

Já as fontes de proteína com baixo teor de gordura: leite desnatado, queijo tipo ricota, peixe e frango. O consumo variado de alimentos frescos, não industrializados, garante a ingestão de alta densidade nutricional durante a gravidez.  

A constipação pode ser um problema, a ser resolvido com o acréscimo de fibras na dieta. Dê preferência às fibras de origem natural provenientes de frutas e verduras. Enjoos matinais e náuseas podem ser aliviadas com o consumo de alimentos pobres em gorduras e ricos em carboidratos crocantes, com menor concentração de líquidos, e com gengibre. Pequenas e frequentes refeições são mais facilmente toleradas.

O hábito alimentar da mãe na gestação também será importante para criança aceitar os novos sabores e odores que serão oferecidos no momento da introdução de alimentos pois o desenvolvimento do paladar e o olfato são transmitidos pela placenta. Respeitar os processos naturais e atender os requisitos nutricionais do corpo é a maneira mais segura e eficiente para as mães que desejam ter filhos saudáveis.

por Fernanda Philbert

Fernanda Philbert é nutricionista, pós-graduada e nutrição clínica funcional e esportiva. Nas horas vagas, gosta de correr maratonas. Escreve para o Bella Mais quinzenalmente explicando como a nutrição afeta a saúde da mulher. Acompanhe seu dia a dia no @fe_philbert


compartilhe