capa
Gisele Silveira

Alimentos vilões vestidos de mocinhos

Gisele Silveira desvenda a composição de alimentos como chocolate diet, suco de caixa e biscoitos integrais

publicidade

A oferta de alimentos fantasiados de mocinhos nas prateleiras dos supermercados é cada dia maior e eu lhes confesso que, por mais que trabalhe com isso e entenda do assunto, preciso ficar muito atenta aos rótulos pra não cair em ciladas. O esforço da busca por uma alimentação com menos gordura costuma ter efeito em alguns casos na perda de peso, mas quando o peso não muda é comum que as pessoas se indaguem sobre o que estão fazendo de errado.

Você já pensou que a resposta para a estagnação na balança pode estar na escolha dos alimentos da dieta? Temos muitos lobos em pele de cordeiro nos supermercados e, por isso, separei alguns hoje para mostrar para vocês e seguirei mostrando outros nos próximos textos.

Chocolate diet

Você sabia que o chocolate diet pode ser mais calórico que o tradicional? Sim! É comum que as pessoas se enganem com os alimentos diet. O diet, pela legislação alimentar, é aquele produto que tem a isenção de algum ingrediente e destinado geralmente, para pessoas com restrição alimentar - o que não significa que sejam de baixa caloria.

No caso do chocolate, como prática comum, a indústria retira o açúcar substituindo-o pelo adoçante. Porém, para atingir a cremosidade característica desse alimento, a fabricação, em geral, eleva a quantidade de gordura, tornando-o uma bomba calórica. Isso explica que o chocolate diet acabe sendo, muitas vezes, mais calórico que o tradicional.

Barras de cereal

As barras de cereal, que muitas vezes parecem boas aliadas na hora do lanche, podem se tornar grandes vilãs do processo de emagrecimento pois, em sua maioria, contém uma quantidade elevada de açúcar. Esses produtos, às vezes, funcionam como verdadeiras sobremesas cheias de chocolate ou geleia, sempre muito açúcar. Além de calórico, ela eleva os picos de insulina - hormônio responsável pelo acúmulo de gordura e por fome constante.

O ideal é sempre olhar o que tem de componente nutricional no produto, já que existem algumas barrinhas com níveis mais baixos de açúcar. Um dica é observar qual o primeiro item na lista de ingredientes do produto: ele é o que está presente em maior quantidade na formulação.

Se na lista de ingredientes da barra de cereal vem primeiro o açúcar, então você já pode desconfiar da qualidade desse alimento para a sua saúde e para o seu emagrecimento. Outra dica para consumir barrinhas mais nutritivas é observar a quantidade de fibras. As pessoas pensam que porque é de cereal tem muitas fibras, mas algumas opções tem valores bem baixos de fibra.

Tapioca

Uma tapioca feita com 5 colheres de goma pode chegar à 300 calorias. E há quem pense que ela é inofensiva. Na verdade ela é uma fonte de caloria com poucos nutrientes. Quando comparada ao pão, seja ele branco ou integral, a tapioca, muitas vezes, consegue ser ainda mais calórica. Duas fatias de pão são equivalentes a duas colheres de sopa de goma de tapioca. As pessoas costumam usar 4 ou 5 colheres de sopa para a preparação da tapioca, ou seja, um engano.

Biscoitos integrais

Parecem aliados da dieta, mas podem se tornar um grande inimigo. O problema desse produto é que, muitas vezes, quem come tem a tendência de querer consumí-lo em grande quantidade, o que é prejudicial devido ao seu alto nível de açúcar. Os biscoitos normalmente são feitos com farinha branca e uma pequena quantidade de farinha integral. Além disso, na sua maioria, possuem na composição gordura trans, um tipo de gordura que dá crocância a preparação mas é péssima à saúde humana. Aqui cabe, mais uma vez, a dica de olhar o rótulo.

Suco de caixa light

Segundo a legislação, o light precisa ter a redução de 25% de algum ingrediente, que pode ser o sódio ou outro item. Esses sucos concentrados costumam ter muito açúcar e ser pobres em nutrientes. Muitas vezes eles tiveram o acúçar substituído pelo adoçante, que também não é saudável à saúde. Nesses produtos, para diminuir o impacto da concentração de conservante, muitas indústrias investem na adição de açúcar, que também é uma forma de conservar a bebida. Então esses sucos acabam sendo alimentos não interessantes para quem está buscando restringir calorias.

Em caso de dúvida, lembre-se: descasque mais, desembale menos.

Tem dúvidas sobre outros alimentos? Mande lá no meu instagram que eu respondo.

por Gisele Silveira

Gisele Silveira é mãe da Antônia e nutricionista funcional, com foco em emagrecimento e hipertrofia, infertilidade e envelhecimento saudável. Escreve semanalmente para o Bella+ com a missão de desvendar os segredos da alimentação saudável. @giselesilveiranutri


compartilhe