capa
Gisele Silveira

Leite de vaca: você precisa realmente consumí-lo?

Gisele Silveira explica que, apesar de ser boa fonte de cálcio, 75% da população tem algum grau de intolerância ao leite de vaca

publicidade

Após a fase de amamentação, nenhum mamífero consome leite - quem dirá oriundo de outra espécie - e este padrão também foi seguido pela raça humana durante 2 milhões de anos. Só após a revolução agrícola e a domesticação dos animais, é que o consumo de laticínios se tornou possível e presente na rotina alimentar do homem.

Sendo assim, o leite ainda é um alimento relativamente recente na alimentação do ser humano, cujo material genético não sofreu grandes alterações nos últimos 10 mil anos. Esse quadro explica porque cerca de 75% da população adulta apresenta algum grau de intolerância a lactose após o desmame. Os principais sintomas são de ordem gastrointestinal como flatulência, dor e inchaço abdominais, náuseas  vômitos e até diarreia.

Além disso, os laticínios, mesmo tendo um Índice Glicêmico baixo (não provocam aumento na glicemia), aumentam muito a liberação de insulina pelo pancreas. Isso  pode aumentar a resistência a insulina, que está intimamente ligada a origem de várias doenças como diabetes, dislipidemia, síndrome de ovário policístico, acne, entre outras. Muitas pesquisas comprovam que existem relações diretas entre o consumo excessivo de laticínios e essas patologias.

A ideia de que leite de vaca seja imprescindível para prevenir osteoporose vem do fato de o alimento ser uma das fontes de cálcio mais bem absorvidas pelo organismo. Hoje já sabemos, porém, que fontes como brócolis, semente de abóbora e a sardinha possuem até mais cálcio do que o leite em sua composição, com a vantagem de não trazer toda a carga alergênica encontrada no leite.

Se você possui qualquer sintoma desses citados aqui, experimente ficar sem o leite por uma semana e observe como seu corpo reage. Há boas chances de você melhorar. Em caso de dúvida, procure ajude profissional.

por Gisele Silveira

Gisele Silveira é mãe da Antônia e nutricionista funcional, com foco em emagrecimento e hipertrofia, infertilidade e envelhecimento saudável. Escreve semanalmente para o Bella+ com a missão de desvendar os segredos da alimentação saudável. @giselesilveiranutri


compartilhe