capa
Gisele Silveira

Não se deixe enganar no supermercado

Gisele Silveira traz alertas sobre as pegadinhas que estão nos rótulos dois alimentos ditos saudáveis

publicidade

A disposição nas prateleiras e as vendas de cada produto mudam de acordo com o que a indústria deseja vender mais ou de acordo com seus lançamentos, que nos bombardeiam diariamente. Quando um produto precisa de muitas chamadas na sua embalagem, desconfie se ele realmente vale a pena.

Faço aqui um alerta: alimentos mais saudáveis não estampam rótulos chamando a atenção de suas qualidades ou benefícios. Você não vê um alface tendo uma super propaganda na embalagem falando dos benefícios das fibras ou dos micronutrientes que ele possui na composição. Assim como não vê um morango ou cacho de uva chamando a atenção pra quantidade de substância antioxidante que ele tem.

Para saber o que realmente estamos comprando, não tem outra maneira, é preciso ler com atenção os rótulos e entender pelo menos um pouquinho as tabelas nutricionais. E mais: precisa ficar atento às armadilhas que estimulam o consumo de produtos aparentemente saudáveis. Separei algumas dicas para te ajudar:

Desconfie dos alimentos enriquecidos

A primeira dica é sempre desconfiar dos produtos industrializados enriquecidos com vitaminas, minerais e afins. Na maioria das vezes estes componentes estão ali numa quantidade quase insignificante. Outro ponto a avaliar é que a adição de tais produtos serve para retirar a atenção de alguns itens daquele alimento que não fazem tão bem à saúde humana.

Cuidado com as porções indicadas nos rótulos

As informações nutricionais contidas nos rótulos dos produtos normalmente indicam uma porção do alimento. Uma estratégia utilizada pela indústria pra camuflar as elevadas calorias de seus produtos é apresentar seu valor nutricional por porção, colocando na tabela nutricional uma porção de tamanho bem pequeno, inferior a porção que normalmente é consumida. Por exemplo, destacar uma porção de 20g de um alimento que facilmente se consome 100 a 200g .

Fuja dos alimentos para emagrecer

Vemos vários produtos nas prateleiras dos supermercados que dizem ser pra emagrecer e sendo vendidos como saudáveis por não conterem gordura trans. Este tipo de gordura é comprovadamente prejudicial à nossa saúde e deveria ter sua venda proibida. Mas o fato de não ter essa gordura não garante o título de saudável aos alimentos pois outros ingredientes vilões podem estar ali como açúcares, sódio e conservantes maléficos a sua saúde.

Cuidado com os sucos

A próxima dica é não trocar refrigerante por suco de caixinha ou suco em pó. O prejuízo é o mesmo! O ideal é trocar o refrigerante por água ou suco naturais. Mas daí vale a ressalva: eles também devem ser consumidos com moderação se o assunto é perder peso.

Iogurte com cara de sobremesa

Outra pegadinha que nos deparamos pelos corredores são as sobremesas lácteas tipo petit suisse. Elas parecem iogurtes mas, na sua totalidade, tem bem mais gordura e, justamente por isso, são mais gostosas.

Na verdade, quando entramos nos supermercados, precisamos ter em mente sempre que vamos alimentar nosso corpo com alimentos de verdade, que não queremos alimentar nossas emoções e frustrações e, portanto, não precisamos nos presentear o tempo todo. Buscar comida de verdade, que estraga, que não tem rótulo chamando a atenção, que tem tempo de prateleira curto por não estar cheia de conservantes, esse sim é um presente à nossa saúde e ao nosso organismo. Por isso, reforço o título desse texto: não se engane!

por Gisele Silveira

Gisele Silveira é mãe da Antônia e nutricionista funcional, com foco em emagrecimento e hipertrofia, infertilidade e envelhecimento saudável. Escreve semanalmente para o Bella+ com a missão de desvendar os segredos da alimentação saudável. @giselesilveiranutri


compartilhe