capa
Mariana Klein

A cultura do mínimo necessário

Mariana klein destaca que entender cada cliente como único é o grande diferencial do momento


publicidade

Imagine a cena: você é contratada para fazer um trabalho, vai lá e entrega o prometido para o cliente. Em algum momento desse caminho você ouve um "nossa, que legal, já tinha passado por 3 profissionais anteriormente e nenhum deles tinha encontrado uma solução". Você agradece, afinal, é maravilhoso ser reconhecida pelo seu esforço, mas reflete que não fez nada além do que foi contratada para fazer.

Já faz algum tempo que levo essa inquietação para amigas de áreas variadas e ouço relatos de elogios recebidos em situações parecidas. E tudo isso me faz acreditar que precisamos pensar sobre essa cultura do mínimo necessário que acabou se instalando entre nós.

É um choque, para mim, ouvir que uma empresa contratou um serviço, não recebeu resultados e o fornecedor nem se deu ao trabalho de propor uma alternativa. Você também se choca situações parecidas?

A padronização de todas as coisas pode parecer uma boa solução neste mundo em que o objetivo é ganhar escala e ter uma grande empresa. Mas ela faz com que nicho de mercado seja apenas uma expressão bonita dos livros de marketing e que profissionais não tenham que investir em excelência.

Já deu para entender que fazer o mínimo necessário é parte de um cenário maior, não é? É um cenário de crescimento pelo crescimento, uma visão de que você só é bem sucedido se ocupar um andar inteiro do prédio comercial, se você usar um monte de palavras em inglês e criar uma fórmula, um método infalível que vai fazer todo mundo ficar rico.

Não sei se você já sabe, mas fórmula mágica não existe. As pessoas e as empresas buscam, mais que nunca, soluções personalizadas capazes de entregar soluções definitivas. E entender cada cliente como um ser único é o grande diferencial do momento.

Se você se reconheceu neste desabafo como a pessoa que entrega o melhor e pensa com cuidado em cada detalhe do pedido que recebeu (que pode ser o pedido de um vestido diferente, de um bolo com um determinado recheio, de um projeto arquitetônico de alguém que não faz ideia de como comprar uma cadeira ou de um cliente que precisa se comunicar com um nicho de mercado), saiba que você faz parte de uma caminhada contra a corrente, mas que vai moldar o futuro dos negócios.

Se você está pensando em como fazer seu negócio crescer e, para isso, está tentando desenhar uma padronização do seu trabalho, pare um pouquinho e respire. Temos exemplos nas mais diversas áreas de empresas que crescem sem padronizar suas entregas, e geralmente lembramos delas como os bons exemplos do mercado.

Qual é o bom exemplo do seu mercado? Quem você quer ser quando crescer? Como você pode usar suas habilidades e conhecimentos para entregar um resultado de alto nível e se tornar também um bom exemplo? 

por Mariana Klein

Mariana Klein é professora universitária e consultora de marketing digital. Comanda a Petit Mídias Sociais e divide semanalmente aqui no Bella Mais o dia a dia do empreendedorismo.


compartilhe