capa
Mariana Klein

Você vai trabalhar em home office pela primeira vez?

Mariana Klein traz dicas para manter sua produtividade e organização trabalhando de casa durante a pandemia


publicidade

Todos os dias você acorda, se arruma e vai para o escritório. Conversa com os colegas, faz reuniões, almoça em grupo. Na sexta ainda tem happy hour para fechar bem a semana. Mas, com a chegada do coronavírus, sua empresa decidiu que nos próximos 15 ou 30 dias você e sua equipe trabalharão de casa.

E, como você sempre trabalhou no escritório, é completamente normal ter dúvidas do que fazer. Tirar o pijama ou não? Trabalhar no sofá ou na mesa de jantar? Como não cair na tentação de assistir uma série? Ou será que tá tudo bem parar de vez em quando?

Confesso para você que eu amo trabalhar em casa. Sou muito mais produtiva quando fico quietinha no meu canto e não tenho com quem jogar conversa fora. Mas eu entendo que o home office é assustador para pessoas que precisam de estrutura. Então, chamei a querida Marcia Breda, do Adoro Home Office (adorohomeoffice.com.br) para trazer para você algumas dicas de especialista.

Aqui estão minhas 3 perguntas e as dicas valiosas dela.

Mariana Klein: Qual é a coisa mais importante que uma novata de home office precisa saber?

Marcia Breda: É importante não subestimar a necessidade de organização e concentração quando começamos a trabalhar em casa. Existem muitos mitos e imagens erradas do home office e podemos ter a tendência de achar que trabalhar em casa é ficar deitada no sofá o dia inteiro, com o computador no colo e a televisão ligada. Precisamos ter consciência de todas as tentações de casa, de tudo o que pode tirar o nosso foco e evitar misturar as tarefas domésticas com as do trabalho. Tenha horário para levantar, troque de roupa e procure um lugar minimamente ergonômico para trabalhar (uma mesa e não a cama ou o sofá).

MK: Como organizar o horário de trabalho?

MB: É importante delimitar horários e pausas durante o dia. Assim como corremos o risco de procrastinar muito e não trabalhar o suficiente, é muito fácil acabar trabalhando o tempo todo e ficar sobrecarregada. Para começar o dia, é importante criar uma rotina. Levantar no mesmo horário, tomar café da manhã ainda longe do computador, trocar de roupa e só depois começar a trabalhar. Defina um tempo de pausa para o almoço. Pode ser mais longo ou mais curto, de acordo com a sua necessidade de cozinhar, por exemplo. Uma ótima dica é escolher um seriado leve e curtinho para assistir nesse intervalo e evitar comer na frente do computador, enquanto responde um e-mail, por exemplo. Precisa colocar a roupa na máquina? Aproveite essa pausa para isso! No fim do dia, também é importante ter limites. É muito provável que a gente nunca termine o trabalho por completo, então defina o horário de fim do seu expediente e mantenha o foco nesse período. Para ajudar você a cumprir esse prazo, tente combinar outras tarefas para o fim da tarde. Faça algum tipo de exercício (em tempo de coronavírus, o que der pra fazer em casa), combine uma brincadeira com seus filhos ou apenas pare tudo, tome um banho e coloque sua roupa de relaxar e ficar em casa.

MK: Quais são as alternativas para quem se sentir isolada demais?

MB: Em condições normais, o ideal é entender qual é o próprio limite para ficar em casa e evitar ficar muitos dias sem contato com o mundo exterior. Almoçar e tomar cafés com amigos, clientes ou colegas de trabalho são sempre uma ótima opção. Em tempos de distanciamento social, uma boa ideia é adotar a prática do cafezinho online (já institucionalizado por algumas empresas que trabalham com a equipe inteira em home office). Marque videochamadas para conversar um pouquinho com seus amigos e colegas durante o expediente e depois siga trabalhando. É a versão online de levantar da mesa e ficar alguns minutos parada ao lado da mesa do café, esperando alguém levantar também para conversar.
Outra ideia é chamar seu colega para uma call enquanto executam o trabalho juntos ou dedicar 15 minutos antes de cada reunião online para uma conversa descontraída. A revolução digital permite que a gente trabalhe de casa e também permite que a gente converse em tempo real, com áudio e vídeo, com pessoas do mundo todo, então vamos usar o que está a nossa disposição.

A palavra-chave é organização. E, dentro das limitações, manter a normalidade dos horários e hábitos. Nosso foco neste momento precisa ser desacelerar a transmissão para que o sistema hospitalar tenha capacidade de atender quem precisar de leitos. Mesmo que você não esteja em um grupo de risco, pense nas pessoas que estão.

por Mariana Klein

Mariana Klein é professora universitária e consultora de marketing digital. Comanda a Petit Mídias Sociais e divide semanalmente aqui no Bella Mais o dia a dia do empreendedorismo.


compartilhe