capa
Patricia Chiela

Quanto mais complexo o ambiente fica, mais sofisticados nós temos que nos tornar

A cada dia que passa fica mais difícil ter uma boa estratégia de negócio, explica Patricia Chiela em sua coluna

publicidade

Existe uma máxima desse mundo em transformação que fala que quanto mais complexo o ambiente fica, mais sofisticados nós seres humanos temos que nos tornar. E é isso. Chegar em lugares que ninguém chegou, pensar em perguntas que iluminem o futuro que ninguém vê é cansativo, exaustivo e exige descer na camada profunda do raciocínio.

Uma boa estratégia é 99% transpiração, 1%inspiração. Algo novo surge sempre do limite, daquele óbvio resultado do esgotamento do complexo. É difícil chegar nele e é justamente esse o poder do processo, sem pular etapas. Pensando em quem empreende, isso tudo se aplica perfeitamente ao mundo em que vivemos hoje: nunca foi fácil fazer um negócio dar certo, mas daqui para frente será cada vez mais complexo. Em meio a tantas alternativas, movimentos midiáticos e modismos, a chave certamente será o pensamento crítico. Ele é que permite refletirmos se determinada ação ou “oportunidade” é realmente para a nossa empresa. Surfar todas as ondas será impossível e nem é o caso.

Alguns pontos que nos ajudam nessa travessia arriscada que é empreender em um mundo volátil, incerto e ambíguo:

- A informação no mundo dobra a cada 12 horas, ou seja, não daremos conta de compreender tudo sozinhos. Precisamos nos cercar das pessoas cercas, que dominem conhecimentos que nos ajudem na qualificação da gestão e da empresa. Crie uma rede de apoio e informação segura.

- Questione-se muito e sempre, principalmente quando estiver do lado da maioria. Realmente isso que estou fazendo agrega algo para o meu objetivo com a empresa? Eu me identifico com determinado modismo ou movimento? Tem uma forma de fazer isso que tenha mais a minha cara? Simplesmente seguir a manada não vai te diferenciar.

- Exercite o olhar estrangeiro na sua empresa diariamente. Tente não deixar a rotina consumir, crie momentos formais de pausas para reflexão estratégica, busque abandonar certezas com frequência e reavalie as coisas antes que seja necessário mudar. Antecipar o erro e pense sempre se não é possível ir um pouco mais além.

Fechando com uma frase do Walt Disney: "Eu gosto do impossível porque lá a concorrência é menor". Este precisa ser o mantra de um bom plano em 2021.

E, como os planos estão sendo refeitos mais uma vez por conta do agravamento da pandemia de Covid-19, aproveito para avisar que o Gramado Summit, evento do qual eu participaria agora em março, foi transferido para os dias 5,6 e 7 de maio. 

por Patricia Chiela

Patricia Chiela é mãe do Alvin, que, por sua vez, é o CEO da Chiela Estratégia de Negócios. Com foco e raciocínio rápido, ela ajuda empresas e empreendedores a encontrar a verdadeira importância da inovação e da estratégia. É idealizadora da CO.RE e escreve a cada 15 dias aqui no Bella Mais sobre empreendedorismo.


compartilhe