capa
Patricia Chiela

Um passo à frente e você já não está no mesmo lugar

Em sua coluna de estreia, Patrícia Chiela fala sobre os desafios, riscos e conquistas do empreendedorismo

publicidade

Lembro do dia em que me dei conta que era melhor planejando do que executando o plano. Empreendi pela primeira vez muito jovem, com 22 anos, nunca parei, mesmo tendo outros empregos ou atividades em paralelo. Sempre achei dentro de mim que as coisas avançavam mais rápido no meu pensamento do que na minha realidade como empreendedora. Empreender sempre foi o caminho que me permitiu ser eu. Com o tempo entendi que quanto mais nos apropriamos da nossa essência, mais tiramos as ideias do papel com convicção e segurança de quem somos e mais o nosso negócio se desenvolve. Não tem como manter uma empresa em evolução se nós não evoluímos.

 E evoluir envolve assumir novos desafios e riscos. Nos dias de hoje, onde tudo é tão incerto, quem está confortável não entendeu o que estamos vivendo. Compartilho alguns raciocínios e metodologias que me ajudaram a começar a agir tanto quanto planejar, transformando o medo do incerto em frio na barriga e resultados. Vamos lá:

- Dimensione o risco. Na prática, qualquer passo novo, por mais planejamento, projeção ou pesquisas, vai exigir que a gente arrisque algo. O segredo para mim e o que me permite agir é entender o tamanho do “prejuízo” se os resultados forem negativos. Estou preparada? Meu negócio segura a onda? Com esse cenário claro, eu trabalho com o realista e com o otimista. Me preparar para o “pior”, mirando no melhor, costuma ampliar minha segurança na hora de investir tempo, energia e dinheiro.

- Olhe mais para o que você já tem do que para o que falta. Aquela frase meio clichê “faça o que der com o que tem e de onde está” é válida para começos. Quebre a ação em pequenos passos. Muitas vezes estamos em um ciclo vicioso de estagnação, ele precisa ser interrompido de alguma forma. Dê o primeiro passo, por menor que seja. Na maioria das vezes ele vai ser melhor do que ficar onde você está, parado.

- Trate uma nova ação como um teste. Aqui podemos buscar ajuda nos modelos de negócio de startups e utilizar o “Mínimo Produto Viável”. Sonha em ter uma confeitaria? Comece vendendo uma torta, entenda se seu produto é bom, se isso é mesmo para você. Tente experimentar coisas novas gastando o menos possível, sem comprometer o seu posicionamento e reputação, mas acima de tudo não aposte todas as fichas de cara. Vá tendo respostas aos poucos.

- Errar é parte da inovação. Aqui eu volto lá para o começo do texto. Ajudando empreendedores eu percebo que muitas vezes os negócios não avançam porque as pessoas à frente deles têm medo. Medo da opinião dos outros, medo de não estar pronto, medo da avaliação, da crítica, de se ver errando, de não sair tudo perfeito. Já aviso: não vai dar tudo certo. Não é à toa que vulnerabilidade é a bola da vez nos berços da inovação. Temos que lidar com nossas limitações quando arriscamos algo novo. Toda empresa precisa aprender que o erro é parte.

- Escolha quem ouvir. Quando você faz alguma coisa surgem mil opiniões de todos os lados, principalmente de quem não faz nada. Escolha mentores, confie neles, escute o seu instinto e aquilo que você acredita. No fundo, você sabe as respostas melhor do que ninguém. Dar atenção a cada palpite que surge no caminho só te desvia da rota.

Empreender é um compromisso com nós mesmos

Quando escolhemos empreender assumimos um compromisso com nós mesmos de gerar tudo aquilo que vamos colher. Nem sempre as coisas saem como imaginamos, não controlamos todos os fatores, mas tudo nos faz crescer. Vivemos em um mundo onde a grande maioria das pessoas pensa mais do que age, fala mais do que faz, entra pouco em campo de alma aberta para a vida. Nós, que damos a cara a tapa e olhamos com entusiasmo para o próximo passo, temos o benefício de sentir como a escolha de ser empreendedor é incrível.

É o meu primeiro texto aqui. Vou agradar a todos que lerem? Certamente não. Mas estou feliz de fazer algo novo. É sempre uma chance de aprender e se ver diferente. Como você pode fazer algo hoje de onde está? Agir é a melhor forma de sabermos o tamanho da nossa força. Um passo e você já não está mais no mesmo lugar. Avante!

 

por Patrícia Chiela

Patrícia Chiela é mãe do Alvin, que, por sua vez, é o CEO da Chiela Estratégia de Negócios. Com foco e raciocínio rápido, ela ajuda empresas e empreendedores a encontrar a verdadeira importância da inovação e da estratégia. É idealizadora da CO.RE e escreve a cada 15 dias aqui no Bella Mais sobre empreendedorismo.


compartilhe