capa
Estilo de Vida

Astros sem rumo: poucos previram que 2020, ano do Sol, seria difícil

A maior parte das previsões para 2020 não falava da pandemia de COVID-19

publicidade

Vamos realizar o desejo de muita gente e voltar ao passado. Mais especificamente ao fim de 2019, período do ano em que, tradicionalmente, acompanhamos o que os astros, cartas, búzios têm a nos dizer sobre um novo ciclo de nossas vidas.
O fato é que a pandemia do coronavírus e suas consequências (isolamento social, colapso no sistema de saúde...) não apareceram com clareza nas previsões para 2020. Alguns especialistas soaram otimistas demais; enquanto outros, é bem verdade, apontavam dificuldades em áreas como saúde, economia e política.
O caso mais emblemático viralizou nas redes sociais e transformou-se em meme. Em entrevista para o Jornal da Cidade (publicação da cidade de Bauru), o astrólogo João Bidu afirmou que 2020 seria um ano "mais leve". A internet, claro, não perdoou. Choveram críticas pesadas e ironias ao trabalho de Bidu e de outros astrólogos.
"Quem nunca se equivocou ao interpretar os sinais dos astros? Isso acontece nas melhores famílias, inclusive com a família de astrólogos. Tenho a impressão de que a maioria dos astrólogos teve dificuldade com as previsões para o ano de 2020 porque eram muitas energias e bastante contrastantes", conta Bidu.
O astrólogo explicou quais energias teriam dificultado sua leitura. "Para vocês entenderem melhor: 2020 é o ano regido pelo Sol, que tem simbologia de energia, vitalidade, luz, vida, amor, paixão. Coisas leves e deliciosas, certo? Acontece que o Sol não reina sozinho no céu. Em 2020, temos também uma forte concentração planetária envolvendo Júpiter, Plutão e Saturno, todos eles em conjunção no signo de Capricórnio", disse. "Desse trio parada dura que pegou a gente de surpresa, temos Júpiter, que tem simbologia positiva e é considerado o planeta da sorte. Saturno, o maior cobrador do zodíaco, mesmo quando está em posição favorável, exige sacrifícios e renúncias. E Plutão, que é um mistério. Mesmo não sendo mais um planeta para a astronomia, continua tendo status de planeta na astrologia e é relacionado à destruição, mas também à transformação, reconstrução e regeneração. Tínhamos esse quadro astral para trabalhar em 2020 e considerei todas as variantes para fazer as previsões", completa.
Sobre a reportagem em que afirmou que 2020 seria um ano leve, Bidu se defendeu: "No dia que fiz a reportagem com o Jornal da Cidade, me perguntaram se seria um ano mais leve e disse que sim, obviamente mais inspirado nas energias e esperanças do Sol do que nas outras influências, bem mais alarmantes. Apesar disso, o corpo da matéria traz ponderações sobre essa conjunção no signo de Capricórnio e eu salientei que não seria fácil e que o ano seria impactante para governos e nações".

Interpretações do céu

A astróloga e terapeuta holística Paula Pires lembrou que a astrologia é passível de interpretação e que cada astrólogo pode ver um posicionamento no céu de uma determinada maneira. "Ao meu ver, por tudo que analisei no céu, não existia nada tão denso, tão desarmônico que justificasse algo tão sério como está acontecendo agora", afirma. Ainda assim, ela acredita que apesar da pandemia, o saldo do ano ainda pode ser positivo. "Embora a pandemia pareça algo negativo, ela pode trazer reflexões positivas que podem fazer com que as pessoas cresçam e reflitam sobre o que tem acontecido no planeta", diz.
Já a astróloga e jornalista Titi Vidal comenta que ela e outros astrólogos previram um ano difícil. "Em alguns eventos do ano passado, nós, astrólogos, chegamos a falar sobre esse ser provavelmente o ano mais difícil do século, pelo menos dos primeiros 50 anos. Eu tenho anotações sobre esse período ser tenso em cadernos meus de 2004 e 2005 (na época parecia tão distante...)", conta.
Segundo ela, alguns astrólogos fizeram previsões otimistas por não conhecerem astrologia mundial (a área da astrologia que estuda os grandes ciclos coletivos). "Essas previsões mais otimistas aconteceram especialmente entre astrólogos com pouca prática e experiência, mas infelizmente veio também de gente mais conhecida e reconhecida. Muitos astrólogos fizeram previsões na linha do que está acontecendo. Acho que isso também mostra quem é astrólogo de fato, quem estuda, pratica e pesquisa para valer."
A astróloga e numeróloga Laís Leite contou que, para este ano, "já eram esperadas muitas transformações e períodos desafiadores". Laís é, inclusive, bastante específica em suas previsões: "Já era prevista uma restrição às grandes viagens e voos cancelados no mundo inteiro". Ela também enumerou eventos como redução de custos, controle de gastos, possibilidade de queda da bolsa de valores e cuidados com a saúde.
No fim do ano passado, o astrólogo Oscar Quiroga, que mantém uma coluna diária no Estadão, foi ao programa de Ana Maria Braga, na TV Globo. Na ocasião, ele apontou para dificuldades políticas no Brasil e desentendimento entre os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Também falou que este ano seria um pouco melhor no quesito emprego. Sobre aquelas previsões, Quiroga filosofa. "Acertar, desviar, tergiversar, encaixar. O reino humano é um sistema complexo, inserido num sistema mais complexo ainda, o sistema solar. Essas complexidades são de vieses infinitos, como buracos negros, infinitesimais, como vírus. O fator de imprevisibilidade inerente aos sistemas complexos não é em relação ao que está em marcha, mas ao quando e como isso se manifestará."

Orixás e vidência

Babalorixá Odegram admitiu que "nada tão grandioso" estava previsto, mas que "havia algo muito estranho no ar". "Era como se a gente estivesse vendo um mar parado, um mar da Praia Grande, com muito calor, onde a tragédia vem com um raio", disse "No final de 2019, percebi que as pessoas estavam mais cansadas e tristes. Estava no ar que alguma coisa séria iria acontecer. Não fiz previsões positivas para 2020, na área da política, do estresse e da união das pessoas. O que está acontecendo agora é uma forma de equilíbrio do próprio universo. Precisamos mudar a nosso perspectiva sobre nossas próprias vidas."
Conhecido apenas como Vidente Carlinhos e famoso por garantir que previu o 7 x 1 da Alemanha sobre a seleção brasileira na Copa do Mundo de 2014, ele enumera as previsões que fez no início do ano e que podem ser encontradas em vídeos na internet. Entre elas, está que a crise econômica iria piorar de forma drástica, empresas multinacionais se retirando do País e até um terremoto. "Minhas previsões já diziam tudo o que está acontecendo no País agora", afirmou.

Quais as previsões agora?

E o futuro próximo? Para o País, João Bidu prevê dificuldades. "Aquário representa a Casa 6, que rege a saúde. E, com Saturno lá e ainda mais retrógrado, é difícil sonhar ou pensar em coisas boas. Inclusive porque Saturno, que governa a Casa 10 do zodíaco em repouso, pode trazer à tona os velhos problemas sociais do nosso país que, somados à pandemia, só podem piorar a situação. Mas Saturno não é só limitação e cobrança. Saturno também dá perseverança, responsabilidade, seriedade. Oxalá ele possa ter essa influência sobre o nosso povo e os governantes", observa.
Para Bidu, Júpiter, que tem relação com prosperidade, também está retrógrado, mas dia 12 de setembro ele retomaria sua marcha natural. "A previsão é que partir daí a economia do nosso país comece a se recuperar. Quem também pode mandar boas energias para a economia brasileira é Vênus, regente da nossa Casa 2. Atualmente, o planeta está retrógrado, mas, a partir do dia 25 de junho, voltará ao movimento direto, no ponto mais alto do horóscopo do Brasil. Alguns setores ligados à moda e à beleza já estão, mesmo com o distanciamento social, conseguindo enfrentar a crise e isso deve se acentuar a partir daquela data."
A astróloga e jornalista Titi Vidal avisou que "o ano todo será tenso". "Até pelo menos o final de 2020, é difícil sairmos dessa tensão, ainda que tenhamos momentos melhores. Outra coisa é que março e, principalmente, abril foram meses importantes e que definiram a continuidade e o caminho das coisas."
Já a astróloga e numeróloga Laís Leite fez previsões pontuais para o restante de 2020. "Até 24 de junho, não é um período favorável para casamentos, cirurgias estéticas, compras grandes, fazer apostas, lançar uma nova performance ou se incorporar a novos negócios", comenta.
"O momento pede para revermos nossas bases emocionais, materiais e espirituais. Rever também os nossos valores com relação ao que consideramos o que é justo. Momento para retomar um curso ou reler um livro. Momento de olharmos para dentro. O ano do Sol traz para nós um 2020 para ser mais bem conhecido. Fica mais fácil enxergar sujeiras quando existe claridade", destaca.

Agência Estado


compartilhe