capa

Taylor Swift para a Billboard: 'Quero que minha música viva'

Escolhida como a Mulher da Década pela publicação, cantora é a capa da edição de dezembro

publicidade

Não basta ter sido escolhida a Mulher da Década pela revista Billboard, é claro que Taylor Swift seria a capa da publicação do mês de dezembro. E a cantora soltou o verbo!

A estrela, que no dia 13 de dezembro completa 30 anos, pode se considerar um dos nomes da música mais realizados de todos os tempos. São 37,3 milhões de álbuns vendidos, de acordo com a Nielsen Music; 95 entradas no Billboard Hot 100 (incluindo cinco números 1), 23 prêmios Billboard Music, 12 prêmios da Associação de Música Country, 10 Grammys e cinco turnês mundiais. E ela comenta esse sucesso todo nas páginas da publicação.

Sobre o novo ábum "Lover", que recebeu três indicações ao Grammy, incluindo a música do ano para a faixa-título, Taylor foi categórica: "Os céus estavam se abrindo na minha vida." Lembrando que o trabalho foi o sucessor de "Reputation", que veio após o confronto público dela com o casal Kanye West e Kim Kardashian.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Billboard (@billboard) em

 

Apesar da bem sucedida "Reputation Stadium Tour", que quebrou o recorde de maior bilheteria nos Estados Unidos no ano passado, Tay parece querer uma pegada mais tranquila nos próximos meses.  "Este é um ano em que tenho que estar lá para minha família - há muitos pontos de interrogação ao longo do próximo ano, então eu queria ter certeza de que poderei ir para casa", diz, provavelmente sobre o diagnóstico de câncer de sua mãe, que inspirou a canção "Soon You'll Get Better".

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Billboard (@billboard) em

 

Sobre regravar suas canções antigas, a fim de recuperar o controle de seu catálogo, a diva destacou: "Felizmente, há poder em escrever sua música. Toda semana, recebemos uma dúzia de solicitações de sincronização para usar “Shake It Off” em algum anúncio, ou “Blank Space ” em algum trailer do filme, e dizemos não a cada um deles. E a razão pela qual estou gravando minha música no próximo ano é porque eu quero que ela continue viva. Eu quero que seja nos filmes, eu quero nos comerciais. Mas eu só quero isso se eu a possuir."


compartilhe