capa

Vinhos da Campanha gaúcha para você experimentar

Região recebeu o selo de identificação geográfica, o que atesta a autenticidade de seus rótulos


publicidade

Inverno e vinho, uma combinação conhecida há muito tempo. E dados mostram que o isolamento social contribuiu ainda mais para o sucesso desta parceria: segundo a Associação Brasileira de Sommeliers (ABS-RS), as vendas de vinhos brasileiros aumentaram em 39% no primeiro quadrimestre do ano, em relação ao mesmo período de 2019. 

Outra boa notícia para o setor é que, recentemente, os vinhos tintos, brancos, rosé e espumantes produzidos na região da Campanha Gaúcha foram reconhecidos com identificação geográfica própria pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi). Com isso, foi atribuída a indicação de procedência e garantido selo de autenticidade à produção de 18 vinícolas que atuam em 14 municípios contornados pelas regiões da Serra do Sudeste, Missões e Depressão Centrada.

Conforme explica a jornalista e sommelière Ju Palma, o Paralelo 31 é um ponto de encontro que une regiões vinícolas reconhecidas mundialmente como Chile, Argentina, Uruguai, África do Sul, Nova Zelândia e Austrália. E é justamente onde ele passa que está localizada a Campanha Gaúcha, por isso não é de estranhar os ótimos vinhos elaborados por lá. “A região tem características geográficas que facilitam o pleno amadurecimento das uvas, como solo basáltico e arenoso com boa drenagem, dias ensolarados, verão quente e seco e invernos rigorosos”, esclarece.

“A grande amplitude térmica, ou seja, a diferença de temperatura entre o dia e a noite, também é um fator que colabora para que os vinhos tenham certas particularidades como serem mais alcoólicos e encorpados e com um pouco menos de acidez se comparados aos vinhos da Serra, por exemplo”, completa. 

Segundo dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a Campanha Gaúcha é o segundo polo de produção nacional de vinho, com 31% da produção. Fica atrás somente da Serra, que concentra 59% de toda a produção do país.

Pedimos para Ju Palma nos indicar alguns rótulos da região da Campanha para você experimentar. Confere essa seleção especial. Sempre vale a pena conhecer novos sabores e sensações:

 

Campaña Cabernet Sauvignon, da Bodega Sossego

Produzido em Uruguaiana, é um vinho intenso e complexo, com aromas que lembram frutas vermelhas e negras maduras, além de especiarias e tabaco. É estruturado e tem taninos presentes, mas macios.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Bodega Sossego (@bodegasossego) em

 

Merlot, da Peruzzo

Elaborado em Bagé, tem aromas frutados intensos que lembram frutas vermelhas e negras, notas herbáceas e especiarias. No paladar, tem um toque amadeirado, boa acidez e taninos presentes, mas suaves. 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Vinícola Peruzzo (@vinicolaperuzzo) em

 

Don Cabernet Sauvignon, da Estância Paraizo

Também elaborado em Bagé, é um vinho jovem e fácil de beber, com aromas de frutas vermelhas frescas, como morango, cereja e framboesa. Em boca, os taninos, a acidez e o álcool se mostram equilibrados entre si.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Estância Paraizo (@estanciaparaizo) em

 

Viognier, da Campos de Cima

Um grande exemplar dos vinhos brancos da Campanha Gaúcha e elaborado com uma casta pouco vista nas vinícolas brasileiras, a Viognier. Este rótulo feito em Itaqui tem notas florais e de frutas cítricas. Em boca, é estruturado, com boa acidez e textura aveludada.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por CAMPOS DE CIMA (@camposdecima) em

 

Cabernet Sauvignon Salamanca do Jarau, da Routhier & Darricarrère

Elaborado em Rosário do Sul com uvas Cabernet Sauvignon, este vinho passa um ano em barricas de carvalho antes de ir para o mercado. Tem aromas amadeirados e de frutas negras, como ameixas. Tem taninos presentes, mas macios, em boca é aveludado.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Routhier & Darricarrère (@redvinhos) em

 

Espumante Rosé Brut, da Guatambu

Elaborado pelo método Tradicional com uvas Gewürztraminer e Pinot Noir colhidas em Dom Pedrito, este espumante tem uma cor delicada que chama atenção. Tem aromas florais, que lembram jasmim, e frutados, que puxam para cereja, framboesa e morango. Em boca, é refrescante e cremoso.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Guatambu Estância do Vinho (@vinicolaguatambu) em

 

Já pegou a taça e o abridor de garrafas? Tim, tim!

 


compartilhe