capa

Pets na quarentena: saiba como adotar de forma responsável

Entidades já percebem aumento da procura por animais de estimação durante a quarentena

publicidade

Diante das tantas mudanças trazidas pelo distanciamento social, a procura por companhia passou a ser um dos maiores desejos neste período. E essa companhia não necessariamente precisa ser humana: entidades e ONGs estão percebendo um aumento na procura pela adoção de pets na quarentena. “Esse fato pode ser decorrente de as pessoas estarem mais em casa e com tempo livre para adaptação dos animais”, explica a veterinária Juliana Herpich, coordenadora do projeto Me Adota?, da Prefeitura de Porto Alegre. “Além disso, um bichinho pode ajudar neste momento difícil já que alegra o ambiente e demanda cuidados, que ajudam a voltar ter uma rotina”, complementa.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Smams Direitos Animais (@usavmeadota) em

Porém, é importante ressaltar que qualquer tipo de adoção deve ser um ato de responsabilidade e não somente para suprir uma solidão temporária, pois estamos falando de uma vida. Juliana ressalta que a alegria pelo aumento da procura pelos animais também vem com o receio do abandono posterior. “Temos orientado sobre a importância da adoção responsável, evidenciando que os cuidados com o animal permanecerão após a quarentena e que a família que adota deve estar preparada para conciliar as atividades quando este período acabar”, reforça. 

A veterinária elencou os principais pontos que devem ser levados em consideração para uma adoção responsável. Confira: 

  • Um animal vive em média 15-20 anos e durante esse período precisará de investimento com alimentação adequada e cuidados veterinários;
  • É um ser que demanda atenção e não pode ser tratado ou pensado como objeto. Deve ser incluído na rotina e no planejamento da família;
  • Existe uma fase de adaptação na adoção tanto para o animal, quanto para os humanos;
  • O pet não deve ter acesso livre a rua, os passeios devem ser monitorados pelos tutores e devem andar preferencialmente em guias;
  • O animal não deve ser adotado para ficar preso a uma corrente;
  • Nos casos em que a pessoa vive sozinha, levar em consideração como irá proceder com passeios, rotina e cuidados em caso de doença;
  • Para famílias e pessoas que compartilham casas, é importante que todos os integrantes estejam de acordo;
  • Também é importante pensar quem cuidará do animal nos casos de viagens.

 

Saiba mais sobre o projeto Me Adota?

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Smams Direitos Animais (@usavmeadota) em

O Me Adota? é um programa de Adoção da Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Hoje estão disponíveis cerca de 60 animais para adoção, nos mais diversos perfis. “No período de quarentena, estamos pedindo que as pessoas agendem o atendimento pelo telefone e façam uma pesquisa de triagem nas nossas redes sociais para verificar se a Unidade de Saúde Animal Victória (USAV) tem o perfil que está procurando”, esclarece Juliana. Além disso, a plataforma Ajuda Coronavírus Pets também está disponível para ajudar na procura pelo pet ideal. “Para adotar é necessário comprovante de residência, documento com foto, estar disposto a doar e receber carinho”, reforça a veterinária.

Quer adotar um companheiro? Entre em contato:

Telefone: (51) 3289-8920

Facebook: SMAMS Direitos do Animais Porto Alegre

Instagram: @usavmeadota


compartilhe