capa

Senadora negra Kamala Harris será candidata a vice para eleições nos EUA

Ela disputará a Casa Branca ao lado do candidato democrata Joe Biden e pode ser tornar a primeira mulher negra a ocupar o posto

publicidade

O candidato democrata à Casa Branca Joe Biden confirmou nesta terça-feira que escolheu Kamala Harris como sua companheira de chapa, posicionando esta senadora negra para ser, em caso de vitória, a primeira mulher a chegar à vice-presidência dos Estados Unidos. 

"Tenho a grande honra de anunciar que escolhi @KamalaHarris, uma lutadora intrépida em favor dos mais fracos e uma das melhores servidoras deste país", anunciou Biden, 77 anos, encerrando semanas de expectativa. 

Kamala Harris disse estar "honrada" em ser a companheira de chapa do democrata Joe Biden, capaz, segundo ela, de "unificar" o país se derrotar Donald Trump em novembro. 

"Joe Biden pode unificar o povo americano porque passou sua vida lutando por nós. E como presidente, ele construirá uma América que vive de acordo com nossos ideais. Tenho a honra de ser o candidata a vice-presidente de nosso partido e de fazer o que for necessário para torná-lo nosso comandante-chefe", tuitou Harris.

A equipe de campanha de Biden informou que ele e Harris farão uma declaração conjunta na quarta-feira, dando início a uma nova fase na campanha contra o presidente Donald Trump. 

Biden lidera as pesquisas para as eleições de 3 de novembro, marcadas pela pandemia e pela crise econômica nos Estados Unidos, que têm um desemprego acima de 10%. 

Com o passar dos dias e a falta de um anúncio na data fixada pelo próprio candidato democrata, as expectativas aumentaram a menos de 3 meses das eleições e a poucos dias da Convenção Democrata, que começa na próxima segunda-feira. 

Uma companheira forte

No anúncio, Biden destacou o histórico de Harris como procuradora-geral na Califórnia e o fato de ter trabalhado com seu filho Beau, que morreu em 2015.

"Eu vi como eles enfrentaram os grandes bancos, como ajudaram os trabalhadores e como protegeram as mulheres e crianças de abusos", disse Biden. 

Harris, de 55 anos, será a terceira candidata a vice-presidente na história dos Estados Unidos, após Geraldine Ferraro em 1984 e Sarah Palin em 2008, quatro anos depois de Hillary Clinton se tornar a primeira candidata à presidência. Ela é também a primeira mulher negra a ser candidata à vice-presidência do país.

Harris tentou concorrer à indicação democrata, abrindo mão de sua campanha em dezembro para endossar Biden em março. 

O ex-presidente democrata Barack Obama enfatizou que Biden "acertou em cheio" com a decisão e Hillary Clinton também comemorou sua escolha, prevendo que a senadora será "uma companheira forte". Trump, por sua vez, se disse "surpreso" com a escolha de Biden, criticando o "fraco" desempenho de Kamala Harris na disputa pela candidatura presidencial democrata. 

A escolha de Biden se trata de um momento importante na carreira de Harris, cuja trajetória foi marcada pela quebra de barreiras em um contexto adverso. Filha de imigrantes, seu pai de origem jamaicana e sua mãe vinda da Índia, foi a primeira negra a ocupar o cargo de procuradora-geral na Califórnia. 

Ao chegar ao Senado, também foi pioneira, como a primeira mulher descendente do sul da Ásia e como a segunda mulher negra na história do Senado dos Estados Unidos. Durante a campanha, ela se destacou pela eloquência forjada como procuradora e por alguns ataques duros lançados contra Biden. 

Esses debates foram retomados nesta terça-feira pela campanha de Trump, que chamou a senadora de "falsa" depois de lembrar não ter muito tempo que "Kamala Harris disse que Biden era racista e pediu desculpas que nunca recebeu". 

O Comitê Nacional Republicano reagiu rapidamente alertando sua base de que Harris tem posições políticas "extremas" e está muito mais à esquerda do que Biden. 

Com os protestos em massa contra o racismo após a morte de George Floyd, um negro americano assassinado por um policial branco em 25 de maio, aumentaram as expectativas de que Biden nomearia uma mulher afro-americana para acompanhá-lo. No entanto, na questão da brutalidade policial, Harris foi criticada por não ter intervindo em muitos casos envolvendo policiais durante sua carreira. 

O fato de que Biden, se eleito, será o presidente mais velho a assumir aumenta a importância de quem o acompanha. Além disso, o veterano político democrata indicou que não pode concorrer a um segundo mandato se for eleito, o que abriria a disputa pela presidência em mais quatro anos para Harris.

AFP


compartilhe