capa

'Me empenhei para não ser a filha e sim uma profissional'

Roberta Pletsch herdou a empresa da família, mas não se acomodou e fez a diferença nos negócios

publicidade

Ela herdou a empresa do pai, mas não se acomodou e fez a diferença nos negócios da família. Roberta Pletsch, diretora de Relacionamento da Merkator Feiras e Eventos, empresa que hoje se dedica à área do calçado, já sentiu o peso da sucessão familiar. Hoje, sabe que sua vivência no mercado e o conhecimento na área do Turismo resultaram em melhorias nos processos da empresa.

No mês em que se comemora o Dia do Empreendedorismo Feminino, em 19 de novembro, o Bella Mais traz a última matéria da série especial sobre mulheres que se arriscaram e fizeram o negócio dar certo.

Com importante representatividade no calendário de feiras de calçados no país, a Merkator nasceu da experiência e forte relacionamento do pai de Roberta, Frederico Pletsch, em 1999. Sempre próxima aos negócios, Roberta integrou o grupo em 2002, quando se formou em Turismo. "Passei por todos os departamentos e conheci bem o processo. Nos últimos três anos, meu pai já me deixou andar mais sozinha", conta.

"Tive que estudar e me empenhar bastante para não ser a filha e sim uma profissional. Hoje, acredito que já passei por esta etapa", avalia a diretora, que acompanha todo o processo de convite de lojistas, convites dos importadores e também as ações de marketing da empresa.

"Todo o começo é difícil. Sempre tive um excelente relacionamento com meu pai e procurei acompanhar bem de perto todos processos. Hoje, tenho o maior orgulho da minha trajetória e da parceria profissional que consegui estabelecer com ele e a outra sócia, Nice Barcelos, uma grande amiga", completa.

Negócios e turismo

Já a vivência em feiras e o conhecimento na área do Turismo são pontos que Roberta atribui terem lhe ajudado a dar certo no mercado. "As nossas feiras têm o apelo na combinação de negócios e turismo. Acredito que consegui entender e melhorar alguns processos nesta área."

No mês do empreendedorismo feminino, destaca que as mulheres estão cada vez mais alcançando postos relevantes devido à melhor capacitação. "Tive mais sorte, porque encontrei uma empresa estruturada e bem posicionada. Mas o desafio de ser uma mulher em caso diretivo é sempre uma questão que tem que ser bem avaliada. É uma luta diária", diz.

Já para quem também quer seguir a carreira empreendedora, afirma que persistência é fundamental. "É preciso perseverar diariamente. Também acho que a empatia é muito importante, pois estamos sempre interagindo com profissionais de diversas áreas e prezo muito pelo relacionamento, a amizade."

Isso tudo, claro, somada à necessária dose de coragem. "Para empreender, manter uma equipe e contratar diversas empresas parceiras nos dias dos eventos. Enfim, acho que é preciso coragem para empreender e deixar uma empresa de pé e saudável", destaca.

por Gabriela Loeblein

Gabriela Loeblein adora moda, é apaixonada pela diva Madonna e é mãe de três peludos. É jornalista e está sempre atrás de novidades em tendências e make. @gabiloeblein


compartilhe