capa

Ano novo sem dívidas: confira dicas para um bom planejamento financeiro

Início do ano novo é oportunidade para zerar as contas e planejar melhor os gastos


publicidade

Segundo dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em novembro, 24,7% das famílias brasileiras estavam inadimplentes com suas contas. O índice faz parte da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) e leva em consideração as contas a pagar em cartão de crédito, cheque especial, cheque pré-datado, crédito consignado, crédito pessoal, carnê de loja, prestação de carro e prestação de imóvel.

O cartão de crédito manteve a liderança no ranking de tipos de dívidas, mencionado por 78,8% das famílias endividadas, seguido por carnês (15,7%) e financiamento de carro (9,2%). Salvo casos de imprevistos, como desemprego de algum familiar, é possível sim reduzir o nível de endividamento e até evitar a inadimplência. Para isso, planejamento financeiro é fundamental.

E aproveitando que estamos em dezembro, que tal começar 2020 focado na saúde das suas contas? A especialista em finanças Renatta Gomes, dá algumas dicas. A primeira delas é detalhar suas despesas e receitas. “Se você não tem uma visão clara de quanto recebe e quanto gasta a cada mês, você não vai conseguir organizar as suas contas e fazer um planejamento financeiro verdadeiramente eficiente”, ensina ela.

Engana-se quem pensa que o planejamento é feito apenas uma vez ao ano. A especialista aconselha a revisá-lo mensalmente, retomando o que foi feito no mês anterior, avaliando erros e acertos e corrijindo o que for necessário no mês em curso. Para começar bem o ano, a dica é, se possível, usar o décimo terceiro para o pagamento do IPTU, do IPVA e a compra de material escolar e outros gastos de início de ano. O ideal mesmo é já chegar nesse momento com uma reserva financeira boa do ano que passou. “Adequar o seu padrão de vida a sua realidade financeira é primordial, procure sempre alternativas para reduzir despesas e conseguir viver de forma mais confortável e próspera”, indica Renatta.

Isso vale para férias e feriados prolongados, que devem ser planilhados para evitar gastos não previstos. Se a intenção for fazer uma viagem, já se prepare financeiramente e crie um “caixa” para bancar os custos. Quanto mais cedo isso for feito mais barato tudo ficará, gerando uma economia que aliviará seu orçamento”.

Confira outras dicas para manter suas contas em dia no próximo ano.

  • Trace metas e objetivos financeiros periodicamente: essa é a melhor forma para realizar os sonhos que dependem de dinheiro. Metas fazem toda a diferença, porque através delas, você pode medir os seus resultados e avaliar se está conseguindo manter o foco e chegar onde deseja com a organização das suas contas.
  • Repense sua relação com o cartão de crédito e os bancos: analise se os juros cobrados pelo seu banco, assim como as taxas administrativas e tarifas, estão razoáveis ou não e se o seu cartão de crédito te oferece algum benefício que o faça valer a pena. Evite ao máximo utilizar meios de parcelamento, como o cheque especial e cartão de crédito, principalmente se não tiver como pagar o valor total.
  • Prepare-se para possíveis emergências: É aconselhável também separar pelo menos 5% do que você ganha por mês para formar uma reserva de emergência. Esse valor servirá para estar preparado não apenas para coisas grandes, mas também diversas pequenas eventualidades que poderão surgir no decorrer do ano. O ideal é formar uma reserva de emergência de 3 a 6 meses o valor de salário mensal.
  • Estabeleça um valor mínimo para ser poupado e investido: Após avaliar minunciosamente seu orçamento, estabeleça um percentual de sua renda que você poupará todo mês. Poupar é fundamental para alçar suas metas financeiras.  A partir disso, não deixe o seu dinheiro sem rendimento. Avalie bem as possibilidades de investimento que você tem e aplique essa quantia para render.
  • Organize sua declaração de Imposto de Renda o quanto antes: preocupe-se em reunir todos os documentos para prestar suas contas com o Fisco. Envie a sua declaração o mais cedo possível, pois no caso de restituição de imposto você será ressarcido antes.

 

 

 

 

 


compartilhe