capa

Relacionamentos problema: por que insistimos neles?

A busca por um 'padrão' pode ter a ver com um conflito mal resolvido do passado


publicidade

Você já se perguntou por que não consegue sair de um relacionamento mesmo não estando feliz ou se sentindo correspondida? Acompanha a saga de uma amiga que vive sofrendo no namoro ou casamento? Não é raro vermos casos de mulheres que parecem insistir em "relações problemáticas". Mas por que isso acontece? O Bella Mais conversou com uma especialista para esclarecer essa dependência emocional e buscar dicas de como sair dela.

A psicanalista Gabriela Seben comenta que situações assim, em que a pessoa termina uma relação conflituosa e, mesmo desejando iniciar outra totalmente diferente, acaba se envolvendo de forma semelhante à primeira, são comuns, a ponto acabar virando um clichê, como se determinada amiga tivesse o “dedo podre”.

"Isso ocorre, em parte, porque escolhemos os nossos parceiros de acordo com os modelos que observamos e absorvemos em nossas primeiras relações familiares. Somos marcados por essas vivências em nossos primeiros anos de vida e, em determinado momento, na adolescência ou na vida adulta, fazemos escolhas amorosas de acordo com o que carregamos nessa bagagem", explica.

Para a psicanalista, ao buscarmos inconscientemente um "parceiro problema", estamos revivendo, provavelmente, um conflito mal resolvido do passado. "Pode-se dizer que essa repetição de um padrão relacional seria uma forma de tentar resolver o conflito anterior, aquele vivido na infância", completa. 

Se uma mulher costuma sempre procurar por um parceiro extremamente ciumento e controlador, por exemplo, é preciso entender o que a atrai nisso e que posição ela ocupa diante dele, se é uma forma de se sentir amada ou desejada. "A contrapartida é que ela também se sente prisioneira. Se ela precisa disso para se sentir gostada, há algo que busca recuperar de sua história passada e que precisa ser compreendido. Somente assim poderá mudar este padrão."

Quando é hora de procurar ajuda?

Gabriela ressalta que, muitas vezes, quem está envolvida em uma relação assim pode perceber que há algo errado, mas não consegue se libertar por se sentir presa à situação. 

"Quanto mais abusiva ou problemática uma relação é, mais difícil de se desvencilhar dela, pois a mesma envolve raiva, culpa, medo e dependência. Algumas vezes, são as pessoas de fora que percebem e alertam para a questão, pois quanto mais alguém está fragilizado, mais difícil é procurar ajuda ou mesmo se indagar a respeito de forma mais profunda. Já questionar a relação pode ser sentido como algo perigoso, pois poderia levar à ruptura. E pode haver um medo muito grande de romper, justamente pela condição de dependência emocional que se estabeleceu", alerta. 

E se mesmo após identificar a situação e tomar uma atitude isso não for suficiente, a orientação é procurar ajuda profissional. "É preciso mergulhar na história pessoal e entender a razão dessa repetição de um padrão para poder se desvencilhar dele. É algo doloroso, mas necessário para estabelecer relações mais saudáveis", orienta.

"O momento de buscar ajuda profissional é quando há sofrimento, prejuízo em outras áreas da vida e uma incapacidade de tomar uma atitude frente ao problema. Estar em uma relação problemática é desgastante e fragiliza, por isso sair dela por conta própria nem sempre é fácil. Buscar um psicanalista ajudaria não apenas a compreender o que leva tal pessoa a se envolver desse modo repetidamente, mas também a mudar o curso das coisas", finaliza.


compartilhe