capa
Relacionamentos

Rede de apoio ajuda influenciadora gaúcha vítima de relacionamento abusivo

Aline Barbosa denunciou o caso nas redes sociais e mobilizou outras influenciadoras gaúchas


publicidade

Você pode ainda não ter passado por isso, mas certamente conhece alguém que já passou. Infelizmente os relacionamentos abusivos são uma realidade na vida de muitas mulheres. E aqui falamos não só de violência física, mas também abusos psicológicos, moral, emocional e tantas outras atitudes que caracterizam a situação. Na última semana, a blogueira gaúcha Aline Barbosa, do perfil Mãe Crespa, decidiu não se calar diante de uma situação vivida com o ex-marido. 

Ela usou seu perfil no instagram para denunciar o caso, consequência de um relacionamento que já dava há anos outros sinais de que o relacionamento havia se tornado abusivo. “No domingo à noite (02/08), eu já estava preparando as crianças para dormir e escutei o barulho da porta da minha casa abrindo. Quando vi era ele, que foi direto pegar meu celular, que estava carregando. Ele bateu o aparelho na parede com força e quebrou”, conta Aline. “As crianças estavam chorando sem parar e eu pedia pra ele ir embora, mas ele não ia. Ele gritava me ofendendo de várias coisas . Eu consegui acalmar as crianças e percebi que ele estava com uma faca no bolso do blusão. O que ele iria fazer com a faca eu não sei... Mas na hora peguei meus filhos e saí pra rua, quando consegui chamar a polícia. Ele foi embora levando minha TV”, relata.

Aline conta que a decisão de fazer o post relatando o acontecido não foi fácil. “Eu pensei muito antes de expor, mas como trabalho como criadora de conteúdo digital, me senti na obrigação de mostrar para outras mulheres que não podemos nos calar diante destas situações. E tendo meu instagram como lugar de fala, quis expor. Conversei com umas amigas que me encorajaram e fiz a postagem”, explica.

O post que relata o acontecido já teve mais de 3400 curtidas e 400 comentários. “Eu recebi algumas críticas de familiares, pois acharam que não precisava expor.  Mas eu penso que expor já é um passo para que isso tenha um basta! Nas redes sociais recebi apenas mensagens de apoio”, relata.

Rede de apoio formada por outras mulheres

Além de todo o abalo psicológico, Aline também se viu numa situação ainda mais difícil, pois agora estava sem seu principal instrumento de trabalho - o celular - e sem sua televisão, o objeto de entretenimento dos filhos. Entretanto, algumas horas depois da postagem, o caso acabou tomando uma proporção que nem mesmo ela imaginava. Já eram centenas de compartilhamentos e comentários. 

A partir daí, uma rede de apoio feminina acabou se formando. A também blogueira Eveline Finger tomou a iniciativa de criar uma vakinha online para arrecadar o valor para a compra dos dois aparelhos perdidos. Vanessa Martini e Patricia Pontalti também se mobilizaram, fazendo com que a história chegasse às Lojas Lebes, que acabaram doando um celular e uma televisão para a Aline. “Eu não imaginava que teria essa proporção toda. Horas depois da postagem, já tinha muitos compartilhamentos, inclusive de outras blogueiras. Além da vakinha criada pela Eveline, após 48 horas de toda mobilização na internet, a Lebes me enviou uma TV e um celular, pois conheceram minha história através da Pati e da Vanessa”, conta Aline.

Patricia Pontalti ressalta que a grande maioria das mulheres pode contar uma história muito semelhante a de Aline e justamente por isso se sentiu tocada pela situação e decidiu ajudar. “A Vanessa me contou sobre a situação, eu decidi ajudar na vakinha criada pela Eveline e acionei o marketing da Lebes, ou seja, foi formada uma rede. E a gente precisa criar isso, se fortificar, se ajudar de alguma forma. Nem sempre vai ser possível com algo material, mas só esse apoio e amor que a Aline recebeu, de tantas pessoas apoiando e divulgando, já dela ela mais tranquila pelo menos no lado profissional”, relata. “Fizemos de imediato que poderíamos fazer e é nisso que temos que pensar, ajudar o outro dessas formas. Eu falo muito sobre auto estima e amor próprio, sobre a gente se fortificar e não aceitar relações que possam nos conduzir a esse tipo de desfecho, então eu acho muito importante a gente se ajudar de alguma forma”, complementa.

A história de Aline acabou tendo um final diferente de tantas outras que acontecem diariamente em nosso país. Ela deixa um recado para outras mulheres que estejam passando pela mesma situação: “Não se calem! Eu sei que é difícil se libertar de um relacionamento abusivo, muitas vezes é difícil até de perceber que estamos dentro de um. Então comece a se olhar, comece a perceber os sinais do seu companheiro e dê um basta antes que seja tarde demais”, afirma. 

 

por Mariana Nunes

Mariana Nunes é jornalista. Ama café, praia, chocolate e futebol - não necessariamente nessa ordem. É torcedora fervorosa do Internacional e repórter do Bella Mais. @a_marinunes


compartilhe