capa
Relacionamentos

Vai viajar com crianças? Redobre os cuidados

Seja um fim de semana ou uma viagem mais longa, é necessário se planejar para garantir o conforto dos pequenos

publicidade

Viagens são sempre uma ótima forma de aproveitar as férias ou o fim de semana. Mas, se você tem filho pequeno, saiba que alguns cuidados são necessários para viajar com conforto e segurança. A médica pediatra do Hospital Moinhos de Vento Karina Lorenzi Marramarco Mazzucco, explica que o destino e a forma de deslocamento devem ser os primeiros aspectos considerados no momento de planejar a viagem. 

“Em primeiro lugar, deve-se estabelecer o destino e o meio de transporte a ser utilizado. Para viagens de avião, as companhias aéreas preconizam idade entre sete a 14 dias de vida no embarque. No entanto, há certo consenso entre os pediatras em orientar que se espere entre dois a três meses para realizar uma viagem de avião com bebê, assegurando-se assim a aplicação das primeiras vacinas e uma mínima maturação do sistema imunológico”, esclareceu. 

Carros para o deslocamento

Uma outra opção de meio de transporte, se o destino for mais curto, é o carro, que conforme avalia a médica, apresenta algumas vantagens. Segundo a pediatra, nesse tipo de veículo, é possível estabelecer um roteiro bem individualizado quanto aos horários e às necessidades das crianças, como amamentação, troca de fraldas, alimentação e sono. 

Por isso, é importante fazer uma programação prévia da viagem, para estimar o seu tempo médio de duração e estabelecer algumas paradas, para banheiro e alimentação. E, para que a viagem de carro seja realmente tranquila, cada passageiro deve trafegar de forma adequada, observando os meios de segurança indicados à sua idade, no caso das crianças, bebê conforto, cadeirinhas, assentos de elevação e cintos de segurança.

Há ainda, a questão da pandemia. “Considerando o momento pandêmico que ainda nos assola em 2022, acaba por ser o meio mais seguro de viajar, uma vez que os contatos serão apenas as pessoas que estiverem dentro do carro”, destacou Karina.

Se a viagem for de ônibus ou avião, a médica alerta para a necessidade do uso de máscaras apropriadas à idade da criança, assim como a manutenção do distanciamento entre as pessoas no aeroporto ou na rodoviária.

Outros aspectos a serem considerados

Ao escolher o destino, é importante também que a família leve em conta os interesses de todos, inclusive os da criança. Por isso, a pediatra recomenda que sejam incluídas, no roteiro de viagem, atividades infantis, como passeios em parquinhos, brincadeiras, piqueniques, entre outros.

Depois do destino escolhido e do roteiro pronto, na sequência, os responsáveis devem avaliar os possíveis riscos da viagem e suas demandas específicas, como por exemplo: “Verificar se a região é endêmica para alguma doença, exigindo alguma vacina (como febre amarela), pensar na exposição ao sol, frio, calor, chuva, neve, insetos (levando roupas adequadas, protetor solar, repelente) e ainda, estudar a acessibilidade do local (lembrando dos carrinhos de passeio para crianças menores e trajetos de caminhadas para as crianças maiores)”, explicou a médica.

Segundo Karina, existem também alguns itens essenciais que não podem ficar de fora das malas e mochilas de viagem. Então é interessante os pais façam um checklist antes de sair de casa e incluam:

Agasalho, caso a temperatura do carro, ônibus, trem ou avião esteja muito baixa.

Líquidos para hidratação adequada, como água, e alguns petiscos para fazer um lanchinho.

Brinquedos para passar o tempo ou algum objeto importante para a criança, como a chupeta, o travesseiro de dormir, o boneco de pano, etc.

Uma muda de roupa e também fraldas extras (apenas quando for o caso).

Uma necessaire de “primeiros socorros” com curativo, termômetro e antitérmico.

Melhores horários para viajar

Uma dúvida comum quando o assunto são viagens com crianças, é quanto ao horário mais apropriado para o deslocamento. Para a pediatra, quem deve definir isso é a própria família. “Viajar durante o dia, com sol forte, pode ser desgastante e desconfortável, porém se houver qualquer necessidade de parada no trajeto, será relativamente mais tranquilo do que em uma viagem noturna”, explicou. 

“No entanto, há pais que preferem viajar a noite ou na madrugada para que as crianças durmam na viagem, devendo-se considerar não parar no trajeto à noite por questões de segurança. Já viagens longas de avião, tendem a ser tranquilas quando noturnas, pois as crianças geralmente dormem bem”, complementou Karina.

Independente do destino e do horário escolhidos, momentos como esse sempre são inesquecíveis e ficam na memória dos pequenos. “Pode ser na praia, na serra, numa casa em outra cidade, uma visita aos dindos, aos avós...o importante é priorizarmos o tempo em família, com qualidade e alegria”, finalizou a médica.

por Vitória Nunes Soares

Como boa repórter, está sempre pronta para aprender sobre todas as coisas. Tem estilo low profile, ou seja, é meio sumida das redes sociais pois prefere viver.


compartilhe